Resenha: Um amor para Johan

Título: Um amor para Johan
Autora: Amanda Bonatti
Editora: The Books
Páginas: 236
Ano: 2018












Sinopse: Quem daria crédito aos sentimentos de um libertino? Quem poderia julgar que Johan fosse um romântico? Teve apenas um amor, mas jamais pôde tê-la, e quando se esgotaram todas as esperanças, Johan acreditou que não havia nascido para o amor. A paixão sim, poderia vivê-la muitas vezes e se apaixonar todos os dias, mas seu coração ficaria guardado e ressalvo de qualquer outra decepção futura. Era mais seguro; Johan desejou nunca mais amar outra vez... Mas então, algo aconteceu...

Em Um amor para Johan, vamos acompanhar a história desse libertino que acostumado a vida sem responsabilidades, e depois de ter fugido de onde residia com seus irmãos por ter arruinado uma donzela, resolve ir conhecer a mulher que Phillip seu irmão mais velho, negociou para que ele casasse. Porém Grizelda era muito fria, apática e sem brilho apesar de linda, e isso não despertou o interesse de Johan, que como de costume foi pego aos amassos com a empregada da família tendo que fugir de lá também.

Ela era uma belíssima moça de dezenove anos, tinha grandes olhos azuis, a pele clara e os cabelos loiros. Seus traços eram harmoniosos e Johan ficou encantado com tamanha perfeição. Ele, casado com uma mulher de tal beleza! Chegou a imaginar a possibilidade, mas assim que a observou mais atentamente, viu que tinha razão o seu irmão quando a descreveu. Phillip a retratou como uma jovem abatida, sem brilho, de uma beleza quase melancólica e uma aparência depressiva. Ele tinha razão, Grizelda era linda e triste, inexpressiva. Não era apenas timidez, a jovem parecia desprovida de energia e conversar com ela foi como dialogar com o tédio.

Sendo assim, Johan acaba indo para Paris e passa seus dias indo em Maison atrás de belas donzelas, em um dia na Maison de l'ámour Johan fica fascinado com as musicistas contratadas para tocar no local, principalmente por Emma a harpista. Ele tenta chamar a atenção da moça, mas a mesma já o corta e confessa não oferecer os mesmos serviços das demais, e isso apenas aumenta o apreço de Johan por ela que de tanto ir ao local acaba tornando -se seu amigo e despertando um sentimento no coração de Emma.

"O nome dela é Emma" – informou Madame Kelly –, "e a outra chama-se Jeanne, são irmãs e são novas na cidade. Senhor Johan, contente-se em apenas ouvi-las, essas mulheres são artistas e não companhias para o senhor nesta noite."

Cansado de ver seu irmão vagando nas noites sem responsabilidade Phillip, ordena que Johan cuide da locação da Solei du Martin assim, como do recebimento mensal do aluguel. Sem ter como negar o pedido Johan acaba se encontrando com Charles que se torna o novo inquilino da mansão.
Na sua primeira visita a residencia dos inquilinos Johan é apresentado a Madame Blanch esposa de Charles e a suas duas filhas, Genevieve e Eleonor, porém nota uma outra garota passando escondida pelos fundos da residência, com isso uma recordação do passado é ativada e Johan se lembra que ele e essa família eram vizinhos e que eles não tinham apenas duas filhas mas três.

Ele se viu em um jardim, que certamente era o de Madame Blanche, e estava ouvindo um choro que vinha do interior do labirinto de cercas-vivas. Johan, que tinha em torno de sete anos naquela época, entrou no labirinto e só saiu de lá quando encontrou a menininha perdida. Ela o abraçou e sorriu em agradecimento e lhe deu uma florzinha amarela, depois enxugou seus olhos e saiu correndo para os fundos da casa. Johan recordou-se daquele sorriso doce e de suas mãozinhas pequenas e delicadas quando lhe ofertou a flor. E então ele soube que era ela. A menininha da sua infância era a jovem que colhia flores naquele pasto.

Passado um mês da sua primeira visita quando se preparava para ir buscar o aluguel o senhor Charles, o locatário chega em sua residencia esbaforido e paga 6 meses com antecedência, estragando o plano de Johan de ir até a Solei, porém não aguentando de curiosidade pergunta a Charles sobre a outra menina e descobre que Annemarie é sua filha de adoção e que na infância era muito amiga de Johan.

"Uma filha de adoção! Então é isso..." – disse para si mesmo. "Eu lembrava que em sua casa sempre haviam três meninas. E como ela se chama? Eu tenho certeza que sei como ela se chama, mas não consigo recordar." –– "Annemarie."

Empolgado com a nova descoberta, Johan decide fazer uma visita surpresa a Charles com a intenção de ver e conversar com sua antiga amiga Annemarie, porém Johan é recebido com muita estranheza por Charles, mas mesmo assim se mantém firme e pergunta por Annemarie, para enfim poder vê-la, contudo o que o deixa verdadeiramente chocado é o fato de que a empregada é ninguém menos do que sua amiga Emma que estava trabalhando na Maison de l'amour.

Na sala, Charles parecia ainda pouco à vontade na presença de Johan, e quando Madame Blanche solicitou que lhes servissem chá, o homem chegou a empalidecer. E quase tão pálido quanto ficou Johan quando, momentos depois, viu Emma entrar na sala, conduzindo uma bandeja de prata em suas mãos.Quando seus olhos se encontraram, Emma também sentiu o impacto do reencontro. Seus olhos expandiram-se, depois encheram-se de brilho e pequenas gotículas de lágrimas lhe sobrevieram, no entanto não caíram. Ela serviu chá a cada um deles, Johan ainda estava estático e Charles também não se movia ou dizia algo, porém avaliava a reação de Johan. Charles queria evitar que Johan a visse, com receio de ser julgado por trazer uma artista para dentro da sua casa que, além de jovem e bela, trabalhara em uma Maison de luxúria.

Um amor para Johan é um livro que traz em sua história personagens que conhecemos em O Bosque de Faias, o livro pode ser lido separadamente, mas eu sugiro lerem O Bosque de Faias pois eles se complementam e além disso a história é sensacional. 
Eu amo romance de época, é com certeza um dos meus gêneros favoritos, e sendo esse aqui nacional me deixa em êxtase; Ver que nossos autores estão escrevendo livros do gênero que amamos é incrível. O livro traz uma trama muito bem construída, com personagens interessantes e de personalidades distintas, se apegar a eles é fácil e odiar os vilões também. Esse livro para mim é completo, tem um ótimo enredo, acontecimentos surpreendentes, casais fofos sendo formados, uma escrita envolvente além da capa maravilhosa, a diagramação estar belíssima e a revisão estar em dias.
Johan é um personagem que em um primeiro momento desgostamos por conta de seus atos infantis e por ser também impulsivo e acabar metendo os pés pelas mãos, mas que também demostra ter um enorme coração, que é sim capaz de amar. 

Sabia que dificilmente as pessoas enxergavam as qualidades e sentimentos que ele sempre teve, sentimentos que eram encobertos por toda a sua irresponsabilidade e imaturidade da juventude. Não lhe davam créditos, não o consideravam confiável e davam a ele inúmeros atributos negativos, a maioria merecidamente, contudo os bons sentimentos ninguém conseguia ver.

Adorei o fato de ele ser um personagem inseguro, mostrando que os homens também tem medos e frustrações. Annemarie é uma moça muito inteligente, bondosa e forte, aguentou muito da vida sem reclamar só agradecendo pelo que tem, Emma é uma personagem misteriosa que acaba se apaixonando por Johan devido a forma cordial com que por ele é tratada. Johan sempre se mete em triangulos amorosos primeiro com Carolina que é e sempre foi apaixonada por seu irmão Phillip e agora com essas duas mulheres. O diferencial desses triângulos criados pela autora é que eles não se estendem é só são colocados assim porque um dos personagens não aceita muito bem a escolha do amado, não porque está em dúvida entre um dos dois.
Do mais só posso dizer que amei a leitura desse livro, mal posso esperar pelo próximo que promete ser muito fofo e romântico, recomendo muito para fãs de romance, romance de época e de uma boa história.

Até a próxima resenha
Beijuh da Rêh

Nota 5 


14 comentários:

  1. Gente, que resenha linda! Eu já estava ansiosa pela sua resenha pois sabia que ela seria assim, completa e de fazer bater o forte o coração. Amei muito e só tenho a agradecer todo o carinho! Beijos enormes

    ResponderExcluir
  2. Ahhhh sou como você, amo um romance de época e por saber q é um nacional me deixa ainda mais curiosa.
    Adoro história de amor envolvendo libertinos haha, acho divertido e a redenção sempre é bem vinda.
    Adorei a indicação e gostaria de ler um dia.

    ResponderExcluir
  3. Oie. Tenho um fraco por romance de época é um dos poucos que leio. História gostosa de acompanhar. Nota-se que Johan tem um crescimento na história e tudo por causa da amiga de infância. Quero ler esse livro

    ResponderExcluir
  4. Eu também sou fã de romances de época, e fico feliz em conhecer uma resenha de uma obra em que eu nao fazia ideia da existência! Acho bacana mostrar as fraquezas de um homem também, geralmente esses enredos tem mania de forçar a imagem do homem forte, destemino e que nunca sofre.

    ResponderExcluir
  5. Gosto muito de romances de época e esse deve nos fazer refletir muito sobre os valores do ser humano e suas superações. Não conhecia esse livro, mas agora já anotei seu nome na minha lista.

    ResponderExcluir
  6. Olá! Achei essa capa tão delicada! Sou muito fã de romances de época, e esse tem uma pegada tão leve e parece que a trama vai conquistando a gente assim, devagarinho, e quando vemos já estamos apaixonados pela história. Achei muito interessante que a autora tenha colocado esse protagonista masculino bem real, com sofrimentos e desejos reais. Amei a dica!

    Bjoxx ~ www.stalker-literaria.com

    ResponderExcluir
  7. Oi, Rêh.
    Eu adoro romances de época e é sempre bom descobrir novas histórias.
    Infelizmente estou cheia de livros para ler aqui na estante e não estou podendo comprar nada novo, mas vou anotar a dica para o futuro!
    beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
  8. Oiiii,

    Que capa lindinha! E adorei a premissa, por um instante eu achei que ele ia se envolver com a bela, mas apagada moça e ao as coisas mudam rs. Quero saber como vai acontecer depois que ele descobrir que a amiga de infância é a mesma mulher com quem ele fez amizade. Espero poder conferir a leitura em breve.

    Beijinhos...
    http://www.paraisoliterario.com

    ResponderExcluir
  9. Olá!
    Amei essa capa.
    Sou fã de romance de época e os nacionais tem me conquistado demais. Adorei a premissa e saber que os personagens são envolventes.
    Fiquei com a impressão de ser o tipo de leitura que realizamos e nem nos damos conta de que estamos chegando nas páginas finais.
    Vou procurar pra conhecer.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  10. Oie!
    Lembrei daquele livro "um amor para Lady Johanna", hahahaha
    Adorei a idéia, o enredo é ótimo, masss não sei se leria no momento pois só o que vejo são romances de época, meio que fiquei cansada já haha

    ResponderExcluir
  11. Olá, gostei muito de conhecer mais sobre esse livro pelo seu post. Parece que esse mocinho apronta poucas e boas no começo. Amo romances de época e esse é um que com certeza quero ler.

    ResponderExcluir
  12. Não conhecia essa obra e nem muito menos o primeiro volume dela. Mas só por ser romance de época já me interessou. Gostei do enredo e também de saber que o personagem não é o fodão e que tem suas inseguranças, legal isso, um personagem mais próximo da realidade. Vou anotar a dica depois. Bexus @prefirolercomcalma

    ResponderExcluir
  13. Oi Reh,
    Eu ainda não conhecia esse livro, mas preciso. Amei o fato de ele demonstrar a insegurança do homem e não limitar isso apenas às mulheres. Também gostei muito da personalidade da protagonista, adoro personagens inteligentes.
    Acho que, à princípio, não teria me interessado pela leitura, mas sua resenha me deixou muito curiosa.
    Vou anotar a dica.
    Beijos

    ResponderExcluir
  14. Não li o primeiro livro e pelo que senti na sua resenha, acho importante a leitura dele para a completude deste. Adorei a capa em sua simplicidade e o enredo me pareceu bastante envolvente.
    beijos

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu comentário, ele é muito importante para nós!

 
CuraLeitura . 2017 | Layout feito por Adália Sá e modificado por Thaiane Barbosa