Resenha: Meu Doce Azar

Título: Meu Doce Azar
Autora: Beatriz Cortês
Editora: Novo Século
Páginas: 384
Ano: 2018


Livro recebido em parceria com a LC Comunicação








Sinopse: Alice é uma engenheira bem-sucedida que acaba de descobrir que carrega na cabeça um belo par de chifres. Inconformada com a situação, resolve abandonar o passado e seguir um novo caminho. Mediante às suas novas escolhas, Alice é apresentada ao ruivo que produz nela sentimentos até então desconhecidos, pelos seus 25 anos. Para conseguir chamar a atenção do “Ed Sheeran” brasileiro, ela conta com a ajuda de sua melhor amiga encalhada e seu irmão gêmeo desajeitado.Um romance azarento e fofo, Meu doce azar vai lhe trazer ótimas gargalhadas e a seguinte “incógnita”: dá para conquistar o amor da sua vida sem um empurrãozinho da sorte?

Alice não é uma garota comum, é apaixonada por ruivos,  azarada, mas com apenas 25 anos construiu uma bela carreira, tem seu próprio apartamento e é romântica a moda antiga, pois ainda sonha em se entregar para alguém de valor e só após o casamento.

Para uma garota de vinte e cinco anos, até que eu já havia realizado muitos dos meus sonhos. Sempre fui assim: gostava de correr atrás de tudo o que eu queria. E sozinha.

Em Meu Doce Azar vamos conhecer a história de Alice, uma engenheira bem sucedida que acaba de passar por uma decepção amorosa, seu namorado Bernardo trai ela com a secretária e isso a deixa arrasada. Porém por mais que seu coração esteja quebrado, ela com ajuda de seus pais e irmão resolve dar a volta por cima.

Descobri pela Laura, que tanto me avisou, que ele estava me traindo há um tempo com a secretária do chefe dele...

Uma semana após o término de seu namoro, o chefe da empresa em que trabalha anuncia que seu filho está chegando de viagem para ajudar na questão jurídica da empresa, já que o mesmo é advogado. Quando Rafael chega Alice se sente atraída por ele de imediato, pois ele é lindo, inteligente, bem sucedido e ruivo!

... Usava terno, óculos quadrados e de grau, cabelos lisos e - espera aí, eu estava vendo mesmo isso? - ruivos. 

A fim de resolver os problemas da empresa Alice e Rafael viajarão juntos para Campinas sozinhos e Alice vê ai uma ótima oportunidade para tentar se aproximar e quem sabe conquistar o gato.  Para isso ela irá contar com Laura sua melhor amiga e colega de apartamento, que irão planejar como Alice vai conquistar o ruivo.

Se você está tão decepcionada a ponto de não acreditar mais na sinceridade das pessoas, a vida trará alguém para te provar que acreditar é necessário para viver um sonho considerado impossível. E não é isso que estamos buscando? O que consideramos impossível!

Serão três dias intensos juntos aonde vai acontecer de tudo: O encontro de Alice com seu azar, o início do plano de conquista, muita diversão e a revelação de algo que pode colocar tudo a perder. Um convite tentador e assustador de Rafael poderá afastá -los ou uni -los como nunca.


“... Alice, me desculpe falar desse jeito, mas não, não é brincadeira... DE TODO O CORAÇÃO, JÁ ESPEREI PASSAR POR MUITA COISA NESSA VIDA, AGORA ISSO?... Alice, me desculpe se de alguma forma te ofendi com o acordo que sugeri...Considero o poder da escolha tão atormentador quanto libertador...”.



Solicitei o livro pois fiquei curiosa com a sinopse que fala de uma personagem bem sucedida que resolve dar a voltar por cima após a traição do namorado. E nesse ponto a autora agiu como eu esperava, Alice pode ser boazinha, legal, na dela, mas não aceita que a enganem ou maltrate com base em "preceitos" machistas. O fato dela optar por se casar virgem, não diz que ele deveria tê-la traído, já que ela foi honesta o tempo todo, e mesmo que não fosse, traição nunca tem motivo, o certo é terminar se não está bom não é verdade?
Confesso que conforme fui lendo o livro me deparei com um dilema, estava gostando da história mas não da escrita da autora, isto porque a forma como a Alice falava do Rafael e de si mesma, as vezes parecia bobo e cruel. Sei que parece confuso mas vou explicar. A autora quis que a Alice agisse como se o que passou fosse cômico, com isso o livro é recheado de frases tipo: Meu par de chifres; Não passo pela porta por causa do meu chifre e etc. Na minha opinião essas tiradas que eram para ser engraçadas ficaram de mal gosto conforme se repetia mais e mais. Além disso, para uma mulher de 25 anos bem sucedida as atitudes de Alice eram extremamente infantis, e isso se repete no livro do começo ao fim, principalmente quando ela se refere ao Rafael, ela só o chama de Ed Sheran ou Ed Sheran paulista, ou AdvoGato, AdvoGato, sério? Essas partes não ficaram engraçadas, ficaram repetitivas, tediosas e imaturas, na minha opinião sem necessidade.
A parte boa do livro além do enredo em si, são os personagens criados pela autora, principalmente o irmão gêmeo da Alice, ele definitivamente é o alívio cômico da obra, o rapaz é super engraçado naturalmente, sua amiga Laura é bem doida o que também traz uma pitada de humor a obra. Sobre o Rafael, confesso que ele não me atraiu, mesmo com seus cabelos ruivos, achei ele bem sem sal, não morri de amores. Bernardo ex de Alice é um completo idiota, sem noção como os que já conhecemos por ai. O tipico cara que faz merda e primeiro joga a culpa na parceira e depois fica atrás agindo como se ainda fizesse parte da vida dela. Meu personagem favorito é o irmão da Alice, ele é espontâneo, alegre, amoroso e tem muito cuidado com a irmã, a ligação dos dois é maravilhosa. A família da Alice é a típica família que só quer a felicidade um do outro e os deixam livres  para escolherem e trilharem seus próprios caminhos. Alice ganhou meu coração, com seu jeito tímido, sua bondade, força, e garra para trabalhar em um cargo totalmente machista, é desse tipo de mocinha que eu gosto, das que fazem sua própria sorte.

Sobre o livro: A Capa eu adorei, achei bem divertida, o verso não curti, pois deu para perceber que o modelo não é ruivo e que pintaram o cabelo dele. O título tem tuuuudo haver com a obra, a diagramação é linda letras de tamanho bom e a cada começo de capítulo temos um trevo de quatro folhas desenhado. Cada capítulo tem um título e eu amo isso, as folhas são amareladas e confortáveis aos olhos, a revisão deixou a desejar.

O livro é o primeiro de uma duologia e eu mal posso esperar para ler o próximo volume. Recomendo para todos que gostam de uma leitura leve, engraçada e cheia de confusões.

Até a próxima resenha
Beijuh da Rêh


Nota 4 





1 comentários:

  1. Primeiramente, parabéns pela resenha que explica muito bem o livro. Fiquei apaixonado pela capa, parece que ela nos convida para ler a trama. E gosto de histórias de mulheres fortes que superam seus traumas e decepções.

    Gustavo
    http://www.leituraenigmatica.com

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu comentário, ele é muito importante para nós!

 
CuraLeitura . 2017 | Layout feito por Adália Sá e modificado por Thaiane Barbosa