Curaleitura indica: O Conto da Aia



Olá, pessoal! Vim correndo indicar essa série que acabei de maratonar. Essa é uma obra que está dando o que falar, primeiro pelo seu livro e agora com a série, e como eu fiquei bem curiosa resolvi dar uma chance e adivinhem? Estou viciada.


O Conto da Aia (The Handmaid's tale no original), é uma série norte - americana que no Brasil é apresentada pela Paramount Channel às 21hs. A série é baseada no livro de mesmo nome da autora Margaret Atwood.

Nessa história vamos conhecer uma nova sociedade chamada Gilead que antes era o Estados Unidos. Tornou -se uma sociedade totalitária e por causa da baixa natalidade por conta da poluição e doenças sexualmente transmissíveis, transformou Offred, nossa protagonista em uma aia. As mulheres nesta distopia são divididas em dois grupos as férteis e as não férteis. As poucas mulheres que sobraram que são férteis foram transformadas em Aias que nada mais é que uma escrava sexual deste regime doentio que vê nesta condição um modo de repovoar o mundo. Offred então vai morar na casa do comandante Fred Waterford e sua cruel esposa Serena Joy Waterford pois o casal de nobres não podem ter filhos, então precisaram buscar na aia uma forma de continuar a linhagem nobre. Lá vai passar por humilhações, agressões físicas e sexuais, sem poder fazer nada mais com o único intuito de se manter viva para salvar sua filha que lhes foi tirada. 

Offred


Comecei a assistir a série de tanto ouvir criticas positivas da mesma. Para quem não sabe a história O Conto da Aia foi criada a muitos anos mas ganhou mais força em um protesto que pode proibir o aborto nos Estados Unidos. Sendo assim, varias mulheres se vestiram de Aias em alusão ao enredo da trama.

Assistindo apenas trechos da série a mesma pode passar a impressão de ser uma série de época, porém ela nada mais é que uma crítica a sociedade e ao controle masculino que sabemos bem que aconteceram a algum tempo atrás, mas na verdade a série se passa em um futuro distópico que não está tão distante assim. 

Na série vemos o mundo mudando pela visão de June que mais para frente irá se tornar a Offred. O primeiro capítulo mostra June, seu marido e sua filha fugindo, o marido fica para trás ouvimos o barulho de tiros e logo June e sua filha são capturadas e separadas. Em seguida vemos a agora Offred neste mundo novo servindo aos Waterford, com todos os seus direitos tomados, até mesmo o nome e com o único intuito de gerar uma criança para o casal. 


Eu estou aqui bem tentada a falar sobre todos os tipos de absurdos que na série são retratados, e tentada também a comparar com a nossa realidade. Mas não o farei, essa série só será compreendida de fato por quem não acha que feminismo é mimimi, que preconceito racial, de gênero e religioso também existe e ninguém faz nada para mudar.

O Conto da Aia é uma série que aponta os problemas sociais sem medo, que coloca o dedo na ferida mesmo e que toca e emociona quem sente na pele, muita das coisas que estão sendo retratadas ali.

Então eu peço, dêem uma chance, tentem assistir e eu tenho certeza que vão gostar e se emocionar também. O enredo é triste, dramático mas a esperança de que tudo mude nos faz acompanhar e torcer pela felicidade de todos as pessoas que estão sofrendo com o sistema.

Confira o trailer:


Um beijuh para todos
Até o próxima Curaleitura indica

10 comentários:

  1. Oiiii,

    Eu assisti está série de pouquinho em pouquinho porque não queria que ela acabasse! É uma crítica social estupenda!!! Eu fiquei maravilhada com a maneira como eles fizeram uma crítica incrível e aí mesmo tempo apaixonante. Eu quero muito comprar o livro é conferir a leitura porque tenho certeza que vou me apaixonar tanto quando me apaixonei pela série.

    Beijinhos...
    http://www.paraisoliterario.com

    ResponderExcluir
  2. Estou louca para assistir a esta série, mas quero que ela vá para a Netflix porque sou destas e não tenho TV a cabo. hahahaha. Já vou procurar para maratonar. E quem disse que o mundo não é um pouco assim mesmo não é?

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Menina, não conhecia essa série. No entanto, estou fascinada pela narrativa. É triste saber que o machismo é tão forte na sociedade, já que estamos em pleno século 21. Eu acho uma boa dar uma olhada sobre ela, pois é um assunto que merece ser debatido.

    ResponderExcluir
  4. Olá, tudo bem?

    Não conhecia a série, nem sequer sabia da existência desse livro. Confesso que não sou muito de assistir a séries, raramente o faço, porque acabo usando o "tempo livre" para ler. Confesso também que a premissa é pesada, mas que é importante que se trate desses assuntos, porque como você mesma disse, um futuro nem tão distante assim. Abusos são assuntos que precisam ser discutidos, debatidos e dos quais precisamos defender as pessoas sempre, até que a sociedade enxergue que não se pode permitir ou concordar com tais absurdos, bem, com isso, vou tentar assistir pra ver o que acho. Valeu pela super dica!

    Beijo!

    ResponderExcluir
  5. Oi, Renata.
    Não sou muito de séries de TV, mas o livro já está na minha lista de desejados.
    Acho que prefiro ler o texto original!!
    Mesmo assim, gostei muito da sua crítica!
    beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
  6. Oi.
    Estou louca para assistir essa série, e fiquei muuito feliz ao descobrir que tenho o Paramount Channel aqui em casa. Só que perdi os primeiros episódios e o canal simplesmente não reprisa os episódios anteriores.
    E eu fico de cara como as pessoas estão simplesmente deslegitimando o feminismo por não concordarem com algumas ações de determinado grupo...
    Com certeza pretendo assistir e gostar tanto quanto você.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  7. Olá, eu estou curiosíssima para ler o livro, e queria só assistir a série depois de fazer a leitura, mas depois do seu post estou até considerando fazer o contrário; a história fala sobre tamas super importantes.

    ResponderExcluir
  8. Olá! Vi muito sobre o livro e sobre a série, e tenho certeza de que é uma excelente produção. Como você bem disse, a autora toca em muitas feridas ao mesmo tempo, feminismo, racismo, preconceito ideológico e religioso, e bem numa hora em que o mundo está um caos sem tamanho. Adorei o resumo e vou assistir, assim que der!



    Bjoxx ~ www.stalker-literaria.com

    ResponderExcluir
  9. Olá!
    Não sabia que tinha a série e já vinha cogitando ler essa obra, justamente por ter boas críticas não só sociais, como religiosas entre tantas outras.
    Vou procurar pra assistir com certeza.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  10. Oi, tudo bem?
    Eu ainda não vi essa série, porque quis ler o livro primeiro. Porém, foi uma leitura que me impactou tanto que precisei de um tempo para criar coragem e ver a série.
    No entanto, parece ser uma produção muito boa mesmo e estou curiosa para assistir. Acredito que, assim como o livro, essa série aponta vários absurdos da nossa sociedade e é assustador pensar que não estamos tão distante dos horrores que são retratados nesse livro. Além disso, como você mesma falou, acho que é importante para mostrar que feminismo não é mimini.
    Adorei a indicação e, com certeza, vou querer assistir.
    Beijos!

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu comentário, ele é muito importante para nós!

 
CuraLeitura . 2017 | Layout feito por Adália Sá e modificado por Thaiane Barbosa