Resenha: Ele precisava ir

Título: Ele precisava ir
Autor: Felipe Melo
Editora: Página 42
Páginas: 96
Ano: 2014


Livro recebido em parceria com o autor





Sinopse: Se quem diz que não existe livre-arbítrio tem razão, não foi culpa dele a decisão de partir naquela manhã. Também não é culpa dele aquele mundo, aquela Natureza, aqueles iguais. Mas é de responsabilidade dele a descoberta das causas primeiras daqueles efeitos mundanos que os milênios não suavizaram, e portanto, é obrigação dele, suportar as consequências de tal conhecimento. Aquele é o mundo que o tempo não muda, e daquele mundo não restam muitos caminhos por onde escapar. Assim, que não se culpe a ele por ter tomado o caminho mais rápido, pois ele tinha pressa, ele precisava ir.

Ele precisava ir. Não sabia porque ou para onde, mas precisava ir. Aquela sensação de aperto que apenas se extinguira com o movimento da partida tornava- se mais intensa a dada dia, a ponto de fazer com que as noites se tornasse masturbações mentais onde as cenas de volúpia eram compostas por paisagens móveis vistas através da janela de um ônibus. Era manhã de quinta - feira, mais precisamente 5h2min, quando ele finalmente sucumbiu a pressão.

Neste livro temos como protagonista um homem sem nome revelado mas que conforme vai trilhando seu caminho tornasse o observador, sonhador, corajoso, viajante, negociador, assustado, romântico, curioso, mensageiro, duvidoso, atrevido, assertivo, entre outros adjetivos. Ele, como é referido o personagem simplesmente precisou ir, ir atrás de um mundo só seu, onde conheceu várias pessoas e animais, a natureza de onde estava e a sua própria. Ele precisava ir além do convencional, precisava descobrir quem era e um pouco mais sobre o mundo em que vive e o que gostaria de viver. Precisava ir a um lugar onde fosse reconhecido, onde pudesse ser ouvido e onde pudesse aprender a ver e ouvir.

 O homem observava a cena, estático. Os potros caíam um a um. E qual não foi a emoção do homem ao perceber que não se tratava de potros comuns. Muito pelo contrário, eram exemplares da espécie mais nobre. Potros com a cabeça equina, mas com corpo de livro de etiqueta.


Quando o autor entrou em contato comigo fornecendo a obra para resenha, imaginei que seria uma história de desamor, onde o personagem principal se vê no fundo do poço por causa de um término, mas eu estava muuuito enganada. Esse livro aborda vários temas, sobre sociedade, gêneros, preconceito tudo através de muitas metáforas e um toque de loucura. Eu iniciei o livro pensando: Meu Deus, o que é que ele está tentando me dizer aqui? Mas conforme fui avançando fui entendendo mais sobre o enredo e só posso dizer que realmente " tirei o chapéu". O Felipe transmitiu tudo o que ele pensava de uma forma sutil, mostrou todos os problemas sociais que estamos passando de uma forma dramática e cômica, e mostrou que tudo na vida, cada caminho escolhido tem uma consequência e que teremos que viver com ela e o mais importante que devemos ir atrás dos nossos sonhos e ser quem nós quisermos.
Sobre o Livro: O livro é pequenino, um formato diferente do que estamos acostumados, mas que se encaixa perfeitamente com a proposta do autor, a capa é bem firme, lembra muito papel cartão, a capa apesar de louca a primeira vista faz todo o sentido depois que lemos a história, as páginas são amareladas, a diagramação está linda, e os desenhos são muito interessantes, já que retratam algumas passagens da obra. 
A narrativa descritiva é feita em terceira pessoa desconhecida, em linguagem mais culta, embora acessível, entretanto pessoas que não tem muito contato com metáforas, comparações excêntrica terão uma certa dificuldade para se conectar com a obra.
Recomendo muito a leitura para quem quer se aventurar em um enredo totalmente "fora do padrão", mas com muito a acrescentar na nossa vida.

Até a próxima resenha
Beijuh da Rêh 

Nota 4 



16 comentários:

  1. Não conhecia a obra, mas me interessei. Sempre me interesso por coisas tidas como "fora do padrão". Já lá no início, gostei da capa e conforme fui lendo suas impressões fuinme interessando pela obra. Irei anotar o nome dela para não me esquecer.

    @leitoraconectada

    ResponderExcluir
  2. Não conhecia o livro. Achei o enredo interessante. Quem nunca se sentiu assim? Necessitando atender ao próprio chamado, ir a algum lugar, se redescobrir, entender mais sobre si é o que nos cerca?

    Vejo histórias assim como algo reflexivo e que nos perdemos entre realidade e ficção.
    Gostei da dica.

    Bjs.

    www.alempaginas.com

    ResponderExcluir
  3. Oiee ^^
    Parece mesmo ser um livro diferente de todos os outros que já li, e saber que o autor conseguiu abordar vários temas sociais com maestria me deixou curiosa. Mas acho que não o leria por ora, ando procurando histórias mais fictícias...haha'
    MilkMilks ♥

    ResponderExcluir
  4. A capa faz sentido depois que lê a história? Gente, agora fiquei mais curiosa ainda, a capa é bem louca mesmo. hahaha Adoro livros diferentes assim, ainda mais quando transmitem uma mensagem bacana. Fiquei curiosa para conferir a obra, sua resenha ficou maravilha!
    beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  5. Amo histórias curtinhas e esse me chamou atenção pela proposta. Vou procurar para lê-lo em breve, o estilo de escrita me lembrou muito um livro que li recentemente e comentei no blog.

    Parabéns pela resenha!
    Ler, Resenhar e Postar

    ResponderExcluir
  6. Eu não conhecia a obra mas só de saber a proposta a respeito do tamanho á fico feliz por ser diferente de tudo que to acostumada, creio que eu ficaria tao feliz quanto você nessa leitura, espero poder ler em breve.

    ResponderExcluir
  7. Não sei se é um livro que eu conseguiria resenhar, tamanha complexidade que senti só com a resenha. Gosto de metáforas e de livros com essa pitada de loucura (recomendo Esquimolandia), mas para leituras despretensiosas. Parabéns por conseguir resenhar algo tão difícil.

    Abraços.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Oi Rê!

    Tudo bem? Não conhecia a obra ainda, mas ela parece ser extremamente complexa, mas deu pra entender direitinho pela sua resenha. Parabéns!

    Gosto muito de obras que são trabalhadas com metáforas e entendo o que diz quando fala que pessoas que não têm contato com este tipo de texto podem ter dificuldades com o livro.

    Beijinhos - Jessie
    www.paraisoliterario.com

    ResponderExcluir
  9. pelo que li na sua resenha gostei muito do livro por ele abordar temas interessantes como falou
    BLOG♥ Coisas da bueno

    ResponderExcluir
  10. Oi, Rê

    Achei a capa muito interessante! Não conhecia o livro ou o autor, mas essa metamorfose do personagem, que torna-se várias coisas, é bem bacana.
    A abordagem das consequências de nossas escolhas também chamou minha atenção, assim como o forte teor metafórico, eu curto.
    Só não leria agora porque estou em uma vibe muito diferente...

    Beijos
    - Tami
    http://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
  11. Olá Rêh,
    Eu gosto muito de obras que fogem da caixinha e do padrão que estamos acostumados por aí e tive a mesma ideia que você sobre o livro, sobre ser algo de desamor e término, mas gostei de saber que o autor aborda outros temas que são importantíssimos, não é mesmo? A única coisa que me preocupa é o tamanho da obra para a quantidade de temas abordados, que, aparentemente, não parece ter espaço, mas vou anotar a dica :)
    Beijos,
    http://www.umoceanodehistorias.com/

    ResponderExcluir
  12. Eu imagino que a leitura tenha sido intensa e mesmo com poucas páginas acredito que se eu tiver a oportunidade de ler, ficarei bem satisfeita com o enredo. Adorei a dica.
    Beijos

    ResponderExcluir
  13. Oiiii,

    Não conhecia a obr ou o autor, na achei interessante o caminho tomado pelo personagem é saber que o autor soube tratar as coisas com sutileza da um ânimo a mais para ler.

    Beijinhos...
    http://www.paraisoliterario.com

    ResponderExcluir
  14. Olá!
    Não conhecia o autor e nem a obra, confesso que achei a sua resenha bem interessante e a obra me chamou a atenção por me parecer bem diferente de tudo o que eu estou acostumada a ler.
    Entretanto, mesmo o livro sendo bem pequeno e bem interessante a ponto de se tornar uma lição de vida, infelizmente o mesmo não sei se conseguiria o ler.

    beijos,
    Mayara

    ResponderExcluir
  15. Oi.

    Eu fiquei um tempo olhando para essa capa, tentando entender direito. Gostei muito dela. Ainda não conhecia esse livro; mas fiquei com vontade de ler. Vou anotar o nome e procurar depois.

    ResponderExcluir
  16. Não conhecia o livro,e apesar de ter gostado dança resenha não é um livro que eu leria, sei lá, mas a discrição da trama não me instigou a ler. Quem sabe numa nova oportunidade. Em todo caso, parabéns pela resenha.

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu comentário, ele é muito importante para nós!

 
CuraLeitura . 2017 | Layout feito por Adália Sá e modificado por Thaiane Barbosa