Resenha: Querubins, a sentença da espada

Título: Querubins, a sentença da espada
Autora: Martha Ricas
Editora: Novo Século
Páginas: 239
Ano: 2015

Livro recebido em parceria com a autora Martha Ricas




UMA GUERREIRA DO CÉU
UMA DAMA VITORIANA
UMA GUERRA INVISÍVEL



Como enfrentar aquilo que todos não querem ver?
Chaya, uma querubim com a missão de enfrentar uma guerra contra os homens e contra o próprio inferno.
Mary, uma garota com um dom que lhe atormenta desde a infância e a impede de confiar no misterioso Anton Haven.
Entretanto, seu pequeno tormento pessoal pode estar mais ligado à guerra celeste do que ela se imagina.
Pegue suas armas, abra bem seus olhos.
O que está ao seu redor pode não ser bem o que pensa.
A batalha dos atalaias nunca termina. Você está pronto?
Querubins, a sentença da espada é um relato em duas vozes: da querubim Chaya, enviada à uma vila celta pré-cristã e que não vê no homem um ser especial, mas cujo espírito guerreiro não a deixa fugir de uma batalha e de Mary Grace, uma donzela da Inglaterra vitoriana atormentada por visões as quais não consegue desvendar.
Ambas as tramas se desenlaçam por caminhos intrépidos e podem estar mais ligadas do que imaginam. Garota e querubim podem e precisam mudar o mundo em épocas diferentes. Seguindo os mesmos passos por cenários deslumbrantes e segredos cada vez mais profundos, elas o farão querer embarcar nas intrigas palacianas e nas batalhas angelicais.


Eu confesso que o tema anjos e batalhas angelicais não é fácil de se escrever e, por isso, a trama tem que ser muito bem elaborada para que me prenda. Acho que por conta das minhas crenças eu não curto muito tramas que sejam mirabolantes. Querubins, a sentença da espada me surpreendeu a cada página!

O enredo criado pela autora é magnífico, deslumbrante. As descrições dos cenários são tão bem feitas que você se sente presente no local. As cenas são bem detalhadas e a escrita impecável.

Chaya me conquistou desde o começo, com sua personalidade forte, mas ao mesmo tempo respeitando as ordens superiores, mesmo sem concordar. Ao acompanharmos sua missão na aldeia Kernev, nos emocionamos com suas descobertas a respeito do porquê o Senhor ama tanto os humanos.

Já Mary Grace é uma pessoa difícil, mas que supera cada pesadelo diário com muita garra. Ao resolver se aproximar de Anton Haven, descobre que, além de ter alguém com o mesmo “dom” que ela, eles são peças fundamentais em uma guerra espiritual milenar. Ao longo da trama, vão descobrir mais sobre si mesmos, sobre o dom e sobre a história de Kernev e de suas famílias.


A escrita da Martha é leve, detalhada, fluida e impecável. Não encontrei nenhum erro no livro, seja de digitação ou gramatical.

O livro é de excelente qualidade, seja pelo conteúdo ou pela qualidade do material. As folhas são amareladas e a fonte e o espaçamento proporcionam uma leitura confortável. A diagramação é simples, mas bem elaborada; cada capítulo tem um pequeno desenho. A capa é muito bonita e o formato do livro é pequeno, o que facilita leva-lo na bolsa. Hahaha

É um livro que eu adorei ler e que indico para todos, tenho certeza de que irão amar a leitura assim como eu!


Beijos!

NOTA 5

1 comentários:

Deixe aqui seu comentário, ele é muito importante para nós!

 
CuraLeitura . 2017 | Layout feito por Adália Sá e modificado por Thaiane Barbosa