Resenha: Intergaláctica

Título: Intergaláctica
Autor: F. P. Trotta
Editora: Livros Ilimitados
Páginas: 275
Ano: 2015





Livro recebido em parceria com o autor 







Sinopse: Uma conspiração para controlar o rumo da mais importante expedição espacial da história da humanidade. 3 de Maio de 2031 - No dia de lançamento da aguardada expedição da NASA para explorar a lua de Júpiter, uma das candidatas para habitar vida extraterrestre, a psiquiatra Amanda Collins acorda de um coma após meses batalhando contra uma meningite aguda. Junto com seus pacientes Stryker, Ripley e sua amiga Lina, eles descobrem que fazem parte de um crescente quebra-cabeça envolvendo uma corporação geopolítica underground chamada A Firma, que planeja sabotar a missão, usufruindo de uma nova tecnologia para saquear a nave e destiná-la para um planeta habitável localizado dezessete anos luz da Terra. O quarteto então inicia uma operação para descobrir a verdade por trás da conspiração, mergulhando de cabeça na maior expedição planetária da história da humanidade.

Oi Gente!!! A resenha de hoje é de um gênero que eu nunca tinha lido (Sci- fi) e que adorei conhecer, estou animada para resenhar o mesmo então, vamos lá.

O livro começa nos apresentando Amanda, uma garotinha de 9 anos que mora com seu pai Oswald e sua babá Shirley. Como seu pai trabalha muito ele quase não tem tempo de ficar com ela, Amanda como toda criança sente falta dele e quando vê a luz do laboratório de seu pai acessa, ela resolve procurar por ele, chegando ao local ela ouve gritos e sai correndo desesperada mas, por pirraça acaba pegando um objeto do laboratório oque faz seu pai ficar furioso e se transformar em uma pessoa que ela nunca viu antes. 

O Òrbita estava despedaçado no chão com fumaça cinza saindo do centro. Oswald correu para o objeto sem nem olha para sua filha. Amanda olhou para seus braços e retirou uma dupla de estilhaços de vidro de se braço direito dando gritos de dor enquanto arrancava cada um, mas Oswald parecia não ouvir.
Pág, 13

A historia dá um salto o tempo e 5 anos após o ocorrido nos deparamos com Amanda amarrada em uma cadeira, dentro do laboratório de seu pai que decidiu fazer um experimento na sua própria filha.

Amanda abriu os olhos e se viu em uma sala branca, com um corredor no fim: Ela imediatamente se localizou ,estando dentro da sala á esquerda do laboratório de seu pai [...]
[...] Ela tentou se mover mas notou que estava amarrada á cadeira: tentou abrir sua boca, mas sua boca também foi presa.

Pág: 14

Por esse motivo Amanda fugiu de casa com sua babá e amiga Shirley e nunca mais procurou o seu pai. Um outro salto na historia nos leva a 2031 quando Amanda acorda de um coma profundo após uma meningite aguda. Bem sucedida, agora Amanda tem 30 anos é psicóloga e vai contar com a ajuda de seus ex - pacientes e amigos, para tentar acabar com o plano de seu pai de lançar um foguete para Europa uma das luas (satélites) de Jupiter, com o objetivo de encontrar vida extraterrestre. Conhecendo o pai como ela conhece, Amanda desconfia que a algo maior por trás dessa expedição, enquanto estão em um café conversando sobre isso com os amigos, os 5 são abordados por falsos tiras que dão ordem de prisão á ela. Vendo o simbolo nas roupas dos policiais Amanda percebe que são capangas a mando de seu pai e sem pensar duas vezes acaba matando á todos.

- Pronto. Adeus. - e saiu ignorando os cinco corpos mortos no chão
Pág; 30 

Foragida e caçada pelo seu pai, Amanda percebe que o único jeito de destruir os planos dele é se infiltrando na Firma, a organização de pesquisa de seu pai e base do lançamento do foguete. E a partir daí Amanda e seus amigos começam uma corrida contra o tempo para sabotar essa missão e livrar as pessoas de seja lá o que seu pai esteja planejando.




Sim,eu sei que a resenha ficou um pouco vaga mas decidi falar apenas do começo do livro, pois apesar de ter apenas 275 páginas o autor consegue colocar tanta informação que a cada página é uma descoberta e é claro, eu não quero estragar a surpresa. 
O começo é meio lento, e possui três saltos no tempo em um curto espaço, mas é essencial para entendermos a relação e a personalidade dos personagens.
A narrativa fica fluida quando chegamos na metade do livro, que fica carregada de ação e não para, cada página é uma reviravolta diferente e a tensão vai crescendo á todo momento.
Os cenários são bem desenvolvidos e o autor descreve os mesmos com riqueza em detalhes.
A personagem principal é uma mulher, e que mulher. Diferentemente de quase todos os livros que lemos Amanda é o suficiente para si mesma e para a trama, carrega todos nas costas, sofre muito mas não se abala e não perde tempo chorando, as outras mulheres que aparecem Lia e Stryker são sensacionais também.
O legal de Intergaláctica é que o autor usa descobertas reais com uma pitada de ficção e nos quando estamos lendo pensamos: Será que isso pode acontecer? Será que realmente estamos sozinhos?. E ler uma trama que nos leva a pensar em outras teorias e possibilidades é realmente algo digno de ser lido.
Agora sobre os contras do livro: O começo é bem parado mesmo, tanto que demorei a engrenar na história.
A revisão da editora não está legal e o livro foi publicado com vários errinhos de português e algumas redundâncias, procurei o nome do revisor e o mesmo não se encontra descrito na página de informações sobre a edição da obra.
Outra coisa que me incomodou foi que a cola utilizada para a montagem do livro ficou aparecendo na primeira página, deixando uma aspecto de descuido da editora, não sei se todos os livros saíram assim, mas o meu veio e eu não gostei.
No quesito diagramação, a editora tirou 10 pois o livro está lindo demais por dentro.
Quanto a capa do livro, eu achei simplória, merecia mais, porém imagino que a própria editora percebeu, pois a capa do segundo volume está linda. 
A parte de trás do livro eu não gostei, para mim não fez sentido algum.O livro se aprecia como um todo por isso espero que a editora tenha mais cuidado ao lançar os próximos volumes.

Até a próxima resenha
Beijuh da Rêh

Nota 4

10 comentários:

  1. O livro começou a me perder quando você disse que a protagonista percebia que eram capangas do pai e sem pensar duas vezes matava todos. Achei meio absurdo isso, as pessoas não saem matando assim. A revisão ruim também seria um problema para mim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ju
      Lendo a história da para entender o porque dela ter matado todos. O pai dela é um monstro e ser pega por ele seria a pior coisa da sua vida.

      Excluir
  2. Oi Rêh, sua linda, tudo bem?
    Fiquei nervosa quando disse que o pai a prendeu para fazer experiências com ela. Nossa, que homem é esse? Fiquei curiosa para descobrir o que está por trás do trabalho dele. E qual é o objetivo dessa empresa em que ele trabalha. Parece ser um bom livro. Gostei da sua resenha!!!
    beijinhos.
    cila.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Cila
      Sim é um livro bom e super pesado, mas vale a pena a leitura.
      Obrigada, quem bom que gostou da resenha
      Beijuh

      Excluir
  3. Bem legal essa resenha, não conhecia ainda

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que tenha lhe chamado a atenção
      Beijuh

      Excluir
  4. Olá.
    Nem sabia que existia o gênero Sci- fi, adorei saber.
    A premissa do livro é realmente um pouco confusa, mas fiquei curiosa para saber mais sobre o livro que parece ser bacana. Amei saber que o autor tras descobertas reais com uma pitada de ficção, isso deixa tudo ainda mais interessante né?
    Amei a resenha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii
      Existe sim e é bastante conhecido como ficção científica
      Sim, toda essa confusão é porque acontece muita coisa e pouquíssimo tempo. E misturar realidade com ficção e bom porque trás mais verdade para a história
      Beijuh

      Excluir
  5. Livro intenso e um pouco polêmico. Parece bom. Anotei a dica!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim kkkk
      E bota polêmico nisso....
      Beijo

      Excluir

Deixe aqui seu comentário, ele é muito importante para nós!

 
CuraLeitura . 2017 | Layout feito por Adália Sá e modificado por Thaiane Barbosa