Livro x Filme: Memórias de uma Gueixa


Oi, pessoas! Como alguns já viram, recentemente li e resenhei o livro Memórias de uma gueixa (clique aqui) de Arthur Golden e depois fiquei sabendo que a obra havia sido adaptada para o cinema. Assisti e claro que vim comentar com vocês sobre alguns pontos que achei mais interessante entre os dois.

Sayuri
Primeiramente, não gostei da mudança de nome de alguns personagens, porém entendo. Mas a mudança de nome da Okiya (casa onde as gueixas vivem) de Niita para Nikta foi completamente desnecessária, ainda mais porque interferiu no nome da protagonista e após uma parte do filme vocês entenderão o motivo.

Chiyo criança
No filme as coisas acontecem de forma muito mais direta, o que gostei muito. Com duração de 2h e 25min, imagine como seria enorme se fosse mais fiel ao livro...
Por ser menos enrolado, achei que o começo ficou um pouco confuso para quem não leu o livro. Não fica bem explicado o motivo pelo qual as irmãs foram vendidas e a importância do Tanaka-san (ou Senhor Tanaka) nesse processo.

Chiyo criança
Não sei se estou me lembrando bem, mas no livro Chiyo é do ano do macaco, e no filme ela é do ano do galo. Não entendi a mudança também, mas não interferiu em nada. E falando dela... A atriz mirim é uma fofa! Já a atriz mais velha é muito inexpressiva, parecia que não estava com vontade de atuar. Não sei, mas não me conquistou.

Nobu e Sayuri
Já Pumpkin (ou Abóbora, no livro) me surpreendeu sendo mais doidona do que eu imaginava. haha
E achei o Nobu do filme muito "normal". No livro é um personagem bem característico, com pele deformada e um braço a menos. Ok, no filme o rosto dele tem esse aspecto, mas ele possui os dois braços e não é tão arrogante como no livro.
Ah, Hatsumomo é muito mais repugnante no livro. Só de lembrar fico com raiva dela. hahaha
Alias, a forma como ela sai da Okiya é bem diferente, achei até melhor no filme.

Hatsumomo
 Outro ponto que me chamou a atenção foi a relação de Sayuri com os personagens masculinos, mais especificamente Nobu, Presidente e o Dr. Crab: senti que no livro ela é mais próxima deles, principalmente Nobu, com quem criou um laço de amizade.

Sayuri
 E, por último, preciso falar de quando Sayuri sai de Kioto durante a guerra. No filme foi apenas um ano, muito diferente do livro que foram cinco. Sim, CINCO!
Ela já volta para Kioto com uma aparência mais acabada, tanto pelo tempo como pelo trabalho. E fiquei chateada por ela não ter aparecido senhorinha no final, como no livro. :(


Bom, recomendo tanto o livro quanto o filme. Os dois são lindíssimos, cada um a sua maneira. Dei 4 estrelas de 5 para ambos.
E se você já leu, assistiu ou tem interesse, comenta aqui embaixo para que possamos conversar, ok?
Beijo!


8 comentários:

  1. Oi Tatty!

    Não li o livro, mas quero muito ver o filme, parece ter uma fotografia muito bonita!!!

    Bjs, Michele

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Veja sim. Além de ter uma história linda, é impossível não se apaixonar pela atriz mirim. haha
      Beijo!

      Excluir
  2. Oi Tatty,
    Acredita que eu não assisti ao filme? O livro não leria, para ser sincera. A história não faz meu estilo, mas acho que o filme daria para encarar.
    Ótimo post, adoro essas analises.
    Beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sério? Acho impossível não gostar do filme ou do livro. Apesar de ser algumas singelas modificações, mantiveram a essência, então vale a pena sim. Assista!
      Beijo.

      Excluir
  3. Eu já o vi o filme 2x, mas ainda não tive oportunidade de ler o livro. Aliás, só soube do livro depois de ver o filme... É uma história bonita, um ótimo drama. Imagino a quantidade de informação que deve ter no livro (adaptações comem muitas delas, e o filme, como vc mesma frisou, já é longo...). Também achei a atriz adulta meio 'mármore', mas pode ter sido instruída a atuar assim, n sei. Espero poder ler o livro. Beijo!

    ResponderExcluir
  4. É verdade. Infelizmente mt coisa precisou ser cortada, mas mesmo assim o livro não perdeu a beleza. É uma história que vale a pena ser conhecida. Beijo!

    ResponderExcluir
  5. Oii. Então, só um adento, no filme quando ela vai p/ o abrigo onde fabrica-se quimono (no livro o lugar durante a guerra tinha virado fábrica de paraquedas,mas no filme claramente eles mantiveram como fazenda de quimono)Sayuri diz durante a narração:..."Um ano sem noticias. Só noticias de morte, derrota, vergonha... Rumores de cidade evaporando em nuvens de fumaça. Assim se passou MAIS UM ano, e DEPOIS OUTRO ,até que o passado passou a ser um sonho. Eu fui mesmo uma gueixa? Eu cheguei a dançar segurando um leque? Quem segura um leque agora? Ou pinta seus lábios? E se passou MAIS UM AINDA. Nada. Arroz... Trabalho... Arroz... Trabalho... Nada...". Então, na narração do filme deixaram subentendido que haviam se passado pelo menos 4 anos. =) Obrigada pela atenção. Ass.: Thamy.

    ResponderExcluir
  6. Oii. Então, só um adento, no filme quando ela vai p/ o abrigo onde fabrica-se quimono (no livro o lugar durante a guerra tinha virado fábrica de paraquedas,mas no filme claramente eles mantiveram como fazenda de quimono)Sayuri diz durante a narração:..."Um ano sem noticias. Só noticias de morte, derrota, vergonha... Rumores de cidade evaporando em nuvens de fumaça. Assim se passou MAIS UM ano, e DEPOIS OUTRO ,até que o passado passou a ser um sonho. Eu fui mesmo uma gueixa? Eu cheguei a dançar segurando um leque? Quem segura um leque agora? Ou pinta seus lábios? E se passou MAIS UM AINDA. Nada. Arroz... Trabalho... Arroz... Trabalho... Nada...". Então, na narração do filme deixaram subentendido que haviam se passado pelo menos 4 anos. =) Obrigada pela atenção. Ass.: Thamy.

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu comentário, ele é muito importante para nós!

 
CuraLeitura . 2017 | Layout feito por Adália Sá e modificado por Thaiane Barbosa