9 de mar de 2016

Resenha: Um Beijo Inesquecível


Título: Um Beijo Inesquecível
Autora: Julia Quinn
Editora: Arqueiro
Páginas:272
Ano: 2016



Livro recebido em parceria com a Editora Arqueiro.







Sinopse: Toda a alta sociedade concorda que não existe ninguém parecido com Hyacinth Bridgerton. Cruelmente inteligente e inesperadamente franca, ela já está em sua quarta temporada na vida social da elite, mas não consegue se impressionar com nenhum pretendente.
Num recital, Hyacinth conhece o belo e atraente Gareth St. Clair, neto de sua amiga Lady Danbury. Para sua surpresa, apesar da fama de libertino, ele é capaz de manter uma conversa adequada com ela e, às vezes, até deixá-la sem fala e com um frio na barriga.
Porém Hyacinth resiste à sedução do famoso conquistador. Para ela, cada palavra pronunciada por Gareth é um desafio que deve ser respondido à altura. Por isso, quando ele aparece na casa de Lady Danbury com um misterioso diário da avó italiana, ela resolve traduzir o texto, que pode conter segredos decisivos para o futuro dele.
Nessa tarefa, primeiro os dois se veem debatendo traduções, depois trocando confidências, até, por fim, quebrarem as regras sociais. E, ao passar o tempo juntos, eles vão descobrir que as respostas que buscam se encontram um no outro... e que não há nada de tão simples – e de tão complicado – quanto um beijo.

Série "Os Bridgertons"

1- O Duque e Eu (Daphne como protagonista) | Resenha
2- O Visconde que me amava (Anthony como protagonista) Resenha
3- Um Perfeito Cavalheiro (Benedict como protagonista) Resenha
4- Os Segredos de Colin Bridgerton (Colin como protagonista) Resenha
5- Para Sir Phillip, Com Amor (Eloise como protagonista) Resenha
6- O Conde Enfeitiçado (Francesca como protagonista) Resenha
7- Um Beijo Inesquecível (Hyacinth como protagonista)
8- A Caminho do Altar (Gregory como protagonista) *

* Título provisório


Um Beijo Inesquecível é o sétimo livro da série Os Bridgertons, escrito pela Julia Quinn e publicado no Brasil pela editora Arqueiro. O livro foi gentilmente cedido em parceria com a editora.

No primeiro livro da série já conhecemos Hyacinth, a última Bridgerton, uma menininha travessa e famosa por ser inteligente até demais. Sendo assim, ao longo da história fomos acompanhando seu crescimento de forma sútil e descobrimos que ela se tornou uma mulher, está na sua quarta temporada e que não mudou em nada. 

“Raramente havia um homem – ou mulher – mais espirituoso, articulado ou bom de debate do que Hyacinth Bridgerton.”

Nessa história vamos acompanhar Hyacinth entrar em sua quarta temporada sem nenhum pretendente. Nas temporadas anteriores ela conseguiu despertar o interesse de vários homens, porém nenhum era digno de a desposar. Ou estavam atrás da fortuna da família ou queriam mudar a personalidade dela, o que ela não aceitava de jeito nenhum.

- Você não tem nada de recatada, não é mesmo?
[...] Eu vivo tentando, mas não, pelo visto, não. Imagino que seja por isso que continuo solteira
.

Hyacinth sempre foi inteligente, bem articulada divertida e muito franca. Ninguém consegue ganhar uma discussão com essa Bridgerton. Por este motivo, é bem conhecida na sociedade por ser uma mulher que foge totalmente das regras da sociedade, fazendo com que os melhores pretendentes se afastem.

Os homens precisam ser laçados para se casarem, quer se deem conta disso ou não. E eu pareço ser completamente desprovida dessa capacidade. Ele abriu um sorriso torto. - Está querendo dizer que não joga sujo e não é sonsa?

Em outro plano, acompanhamos a triste historia de Gareth St.Clair, filho de Richard St. Clair. Gareth cresceu sabendo que o pai o odiava com todas as forças e nunca entendeu o motivo, em um momento da vida resolveu tentar entender o pai e apenas ignora-lo,  ou na maioria das vezes ser insolente o bastante para deixar o mesmo com raiva. Como o pai adorava maltrata-lo, um dia o chamou para lhe informar que irá casá-lo com Mary Winthrop, que não era boa da cabeça. Na verdade, era uma criança em um corpo já adulto. Não aceitando a situação, Gareth abandona seu pai e pede auxílio à sua avó, que é ninguém menos que Lady Danbury.

Quando lhe dissera que o pai o expulsara, ela ficara lívida, mas jamais tentara usar o poder de condessa para forçar o lorde St. Clair a aceitar o filho de volta. - Rá! – exclamara a avó. – Prefiro sustentar você eu mesma.

O encontro desses dois personagens se dá no recital Smythe – Smith. Hyacinth conhece St.Clair, não só a fama de libertino dele, mas também o outro lado. O rapaz que a desafia é inteligente e o único que consegue deixar Hyachnt sem fala, ou seja, o homem prefeito para ela.


- Você até ficou sem fala. Eu mereço um elogio
- Você...
- Não, não - disse Gareth, erguendo a mão e apontando para ela como se o que realmente quisesse fazer fosse levar o dedo aos seus lábios e calá-la. – Não estrague esse momento. É raro demais.



Sobre a história, só posso dizer que segue perfeita. Eu amei esse livro e a personagem criada pela Julia é a minha favorita. Hyacinth é espirituosa, inteligente, esperta e não se deixa enganar por ninguém, não aceita ser deixada de lado, enfrenta qualquer obstáculo e tem os melhores planos. O livro é muito engraçado e o par romântico me conquistou de cara.

A história de Garret é bem triste para um cara tão de bem com a vida. 

Uma personagem que eu adoro é a Lady Danbury e aqui pudemos conhecer mais sobre ela, já que está bem presente nesse volume. Os momentos em que Hyacinth vai até a casa de Lady Danbury para ler pra ela são os melhores, eu ri bastante das duas.

Uma coisa que eu senti falta nesse volume foram todos os Bridgertons. Temos a aparição somente de Antony e Gregory e a mãe Violet, que não poderia faltar.

Falando em Violet, essa mulher para mim é a mais incrível, em todos os volumes sentimos todo o amor que ela transmite aos filhos, vemos também uma mulher que realmente só quer o bem de todos e os conselhos dessa mãe são os melhores que alguém pode receber.

Dos irmãos Bridgertons, meu preferido é o Collin, sendo assim adoro o livro dele, porém Um beijo inesquecível virou um queridinho e das irmãs, com certeza, a minha favorita é a Hyacinth. Senti uma queda nas histórias da Eloise e da Francesca, mas esse volume veio com tudo relembrando os primeiros livros.

É muito difícil pensar que essa série está chegando ao fim, pois foi por causa dela que hoje amo romances de época e sei que nunca irei ler nada parecido com esses livros, porém ao mesmo tempo estou sedenta pelo oitavo e último volume, para ver como a autora irá finalizar essa história.

A diagramação segue igual aos dos livros anteriores, ou seja, ótima.
A revisão segue perfeita também, não achei nenhum errinho de português se quer.
A capa infelizmente tem o mesmo problema das algumas outras, o personagem não combina com a modelo da capa, não representa a Hyacinth.

A Editora Arqueiro nos informou que o lançamento do oitavo livro 'A Caminho do altar' (Título provisório) está previsto para Junho de 2016

Até a próxima resenha
Um beijúh da Rê

NOTA: 5

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário, ele é muito importante para nós!