12 de out de 2015

Resenha: O Homem Que Calculava


Título: O Homem que Calculava
Autor: Malba Tahan
Editora: Record
Ano: 2015 (edição comemorativa)
Páginas: 232













As proezas matemáticas de Beremiz Samir - o Homem que Calculava - tornaram-se lendárias na antiga Arábia, encantando reis, poetas, xeques e sábios. 
Neste livro, Malba Tahan relata as incríveis aventuras deste homem singular e suas soluções fantásticas para problemas aparentemente insolúveis.
Em O Homem que Calculava são expostos e solucionados problemas de matemática e lógica de forma simples, clara e divertida. Um livro agradabilíssimo de se ler! 
Conta a história de Beremiz Samir, um jovem persa com um grande talento: calcular. Quando um homem o encontra e o leva para Bagdá, Beremiz não imaginava o que o esperava; humilde, não imaginava que podia se tornar rico e famoso com seu talento. Mas não era nem a riqueza e nem a fama que interessavam o erudito Beremiz, inteligente e seguidor à risca da religião de Maomé: o Islamismo. O Homem que Calculava era um absorvedor de conhecimento e toda e qualquer lavainformação que pudesse obter era bem-vinda. Estudava grandes sábios, como Pitágoras, Arquimedes e os grandes nomes da geometria árabe. Com grande facilidade resolvia problemas a ele propostos e encantava todos os grandes Xeques de Bagdá, inclusive Al-Motacem, o Sultão! 


Um livro maravilhoso e que deve ser lido por todos, O Homem que Calculava nos faz raciocinar, questionar e aprender. Sobre a matemática, sobre história, sobre religião, sobre culturas. Pequeno, com escrita simples e direta, possui citações de grandes pensadores e trechos que nos fazem refletir. Para que serve o saber? Como o conhecimento deve ser usado? Com humildade ou arrogância? "
O homem só vale pelo que sabe. Saber é poder. Os sábios educam pelo exemplo e nada há que avassale o espírito humano mais suave e profundamente do que o exemplo. Não deve, porém, o homem cultivar a ciência senão para utilizá-la na prática do bem. Sócrates, filósofo grego, afirmava com o peso da sua autoridade: 'Só é útil o conhecimento que nos faz melhores'. Sêneca, outro pensador famoso, indagava descrente: 'Que importa saber o que é a linha reta quando não se sabe o que seja retidão?'" 
As respostas para diversas perguntas estão no excelente livro O Homem que Calculava, de Malba Tahan. 

Boa leitura! 
P.S.: "Louvado seja Alá, que criou a Mulher, o Amor e a Matemática!"


NOTA: 5

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário, ele é muito importante para nós!