Resenha: Jardim de Inverno

Título: Jardim de Inverno
Autora: Kristin Hannah
Editora: Novo Conceito
Páginas: 416
Ano: 2013













"Nós, mulheres, fazemos escolhas pelos outros, não por nós mesmas, E quando somos mães,nós suportamos o que for preciso por nossos filhos."

O título do livro vem do lugar preferido da matriarca, um lugar onde ela passa maior parte de seu tempo (ou gostaria de passar), o jardim de inverno. Boa parte do livro se passa no período da segunda guerra mundial, mas são só as memórias. 



O livro conta a comovente trajetória de uma família, um pouco (ou muito) desintegrada, devido ao afastamento psicológico da mãe para com as filhas. Duas irmãs de personalidade e costumes totalmente diferentes que se dão muito bem, se reencontram quando o pai está gravemente doente e vem a falecer: Meredith, a mais velha, dona de casa, trabalha fora e segura as pontas na casa dos pais; Nina, a fotografa que a todo momento viaja em busca do que fotografar.

“Elas sempre lidavam com as coisas de forma diferente, ela e Meredith. Mesmo quando garotas, Nina sempre caia e levantava de pressa; Meredith movia-se com cautela, raramente perdia o equilíbrio. Nina quebrava coisas; Meredith as consertava.”

“Nina sempre se sentia vagamente incompetente pero da competência total da irmã”

 E agora, o que fazer sem aquele que fazia a ponte entre elas e mãe? Mas o que aconteceria quando ele não estivesse mais entre elas? Como lidar com a perda de alguém tão importante e querido?

“Seguiu em frente. Ultimamente, esse parecia ser o melhor modo de lidar com as coisas.”

A mãe não demostra carinho pelas filhas, apenas pelo marido. Elas, as filhas, não entendem o motivo da própria mãe ser tão distante e fria, tão fria quanto O Jardim de Inverno. Uma coisa é certa, ela conta contos como ninguém. Mal sabiam elas que esses contos revelavam muito mais do imaginariam. O pai faz um pedido antes de morrer: as irmãs tem a missão de descobrir o porque da mãe ser tão distante delas, e formar o laço que o pai sempre desejou que tivessem.


“ — Seu pai pensa que eu não posso lidar com a morte dele. — E você pode?  Nina perguntou com simplicidade
 Você ficaria surpresa com o que o coração humano pode suportar”

A princípio a gente cria uma antipatia com a mãe, mas com o desenrolar da estória a gente vai entendendo (não completamente, mas entende). O livro nos mostra a importância dos laços familiares, e o quão importante eles são nos momentos difíceis. Vale muito a pena a leitura, principalmente pra quem gosta de ler livros reflexivos.
Gostei muito da escrita também. É meio complicado resenhar esse tipo de livro sem dar muitos spoillers, tentei ao máximo não dar (Haha).

Espero que tenham gostado, super recomendo a leitura. Até a próxima!

NOTA: 5

2 comentários:

  1. Heey!
    Esse livro parece ser fascinante, a capa é maravilhosa, a premissa é boa e pela sua resenha percebi que é muito bom haha
    Abraços!
    http://desbravando-o-infinito.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O livro é sim, Guilherme. Leia e comprove ;)

      Excluir

Deixe aqui seu comentário, ele é muito importante para nós!

 
CuraLeitura . 2017 | Layout feito por Adália Sá e modificado por Thaiane Barbosa